Black Butler


Feliz junho, queridos leitores! Finalmente, metade do ano, as férias vêm aí e estamos todos ansiosos por elas (mesmo que os professores das universidades federais tenham entrado em greve e eu esteja mais ou menos de férias no momento, ainda anseio por elas). De qualquer modo, hoje novamente venho lhes falar sobre um manga. Não simplesmente um manga... É o meu manga favorito... Nada mais nada menos que Kuroshitsuji (Black Butler). Mas não quero fazer apenas um pequeno post sobre a sinopse e minhas impressões, não! Há muitíssimas coisas interessantes que merecem ser citadas quando se fala nessa história maravilhosa.

Sinópse: Em uma mansão nos arredores de Londres, na era Vitoriana, o mordomo Sebastian Michaelis serve Ciel Phantomhive,  um garoto de doze anos de idade e cabeça de uma família nobre inglesa possuidora um império industrial onde a produção é toda voltada para brinquedos e doces. Mas além disso, há um outro lado da família que atua diretamente em serviços para a Rainha. Sebastian realiza todas as tarefas exigidas por seu mestre, solucionando problemas que importunam a Inglaterra com facilidade e perfeição, por causa de sua linhagem demoníaca e do contrato com seu mestre.


Certo, mas o que torna Kuroshitsuji tão atraente para mim e para os outros fãs tão obcecados como eu? Talvez seja o charme da Era Vitoriana (que é algo que encanta meio mundo), ou talvez seja esse ar de investigação, mistério.... Uma coisa meio Sherlock Holmes. Mas vamos além disso!
Uma das coisas mais interessantes trabalhadas pela a autora é o fato de que, vários mistérios que ela joga no enredo da série são fatos históricos reais. Isso inclui casos, personalidades e enfim!
A começar o primeiro arco do manga... Assassinatos em série acontecendo por toda Londres, os jornais chamam o maníaco de "Jack, O Estripador", e adivinha quem a nossa querida Rainha Vitória pede para investigar o caso? A familia Phantomhive, é claro!

Existem tantas referências que você irá se deparar em uma trama envolvendo um personagem chamado Arthur Wordsmith, que é uma "versão" do manga de nada mais nada menos que Sir Arthur Conan Doyle (autor de Sherlock Holmes). Também irá se deparar em um mistério que envolve o desastre do Titanic, onde na verdade, o navio foi infestado de zumbis e o fato dele ter batido em um iceberg foi apenas uma parte de tudo isso! Além desses e outros personagens óbvios (como a Rainha Vitória), há outros personagens que você irá se deparar às vezes, por exemplo, Arthur Randall que no anime é um comissário da Scotland Yard e foi baseado no Capitão Arthur Clunie Randall (a um aviador da primeira guerra mundial).

A autora também toma como base vários cenários reais e vestimentas. Como por exemplo, um dos vestidos desenhados foi copiado completamente na cara dura do vestido da Katrina de Sleepy Hollow (1999).

Anime vs. Manga: Kuroshitsuji é teve uma das adaptações para anime mais infiéis que eu já vi em toda minha vida de otakisse. Apenas os cinco ou seis episódios primeiros do anime seguem o manga. Mas mesmo com toda a infidelidade (que chegou a render uma segunda temporada toda filler e várias personalidades distorcidas), é algo que eu acho que valha a pena também assistir.

Enfim, para pessoas que apreciam esses tipos de referência, Kuroshitsuji é um prato cheio. Além da trama pessoal do personagem principal que por si só é muito interessante.

Já foi anunciado pela Panini que o manga começaria a ser publicado no Brasil e estrearia um julho deste ano! Então para quem apenas viu o anime ou nem isso, é uma ótima oportunidade para começar a acompanhar!


Videozinho da segunda temporada filler pra empolgar a vocês assistirem, lerem e enfim!

Nenhum comentário:

Postar um comentário